Porque fazer perguntas é a melhor abordagem numa consultoria de organização

https://lharmonia.com.br/2021/07/30/porque-fazer-perguntas-e-a-melhor-abordagem-numa-consultoria-de-organizacao/

Essa semana estive conversando com uma cliente para quem estou fazendo consultoria de organização.

É uma consultoria associada a um projeto de marcenaria planejada e decoração de ambientes de uma arquiteta parceira.

 

Num determinado ponto do projeto a cliente precisava decidir onde acomodar o violão da família.

 

A ideia inicial, prevista no projeto da arquiteta, era instalar o violão na parede.

 

Com a chegada dos móveis planejados e o avanço do trabalho de triagem e seleção dos pertences, que ela está fazendo antes de definirmos onde os objetos serão armazenados, veio a questão de onde o violão ficará.

 

Havia alguns pontos a serem considerados.

 

  • Acomodar o violão junto com outros instrumentos da família criando um cantinho musical fazia todo sentido. É inspirador e incentiva o uso dos instrumentos, além de contribuir para a decoração do ambiente.

 

  • Pendurar o violão na parede permite usar um espaço ocioso e também contribui para a decoração do ambiente. Mas se as crianças tocam elas conseguiriam retirar o violão do suporte na parede, garantindo assim a autonomia delas?

 

A cliente precisava avaliar todas as variáveis envolvidas para decidir.

 

Essa foto que ilustra o post é da minha casa.

 

Aqui criei um cantinho musical ao lado do rack onde fica a vitrola, com o violão no suporte de chão e uma caixa com os LP’s.

Esse é um dos meus cantinhos preferidos da minha casa.

 

Mas depois da pandemia, que passamos nós mesmos a cuidar da limpeza da casa, eu percebi que o violão no chão me irrita.

Sabe porque? Porque ele é mais um objeto que preciso remover do meu caminho na hora de limpar.

Já quero pendurá-lo na parede! E durante nossas trocas pelo WhatsApp comentei isso com a cliente.

 

 

Porque eu compartilhei com ela como me sinto em relação ao violão na minha casa:

 

Porque eu sempre digo que tudo que nós mantemos em nossa casa precisa ser administrado.

Administrar nossos pertences envolve não só o uso do espaço que eles ocupam na nossa casa.

Mas também a forma como estão armazenados, o custo de manutenção, e como eles impactam nossas atividades diárias.

 

Então pedi a ela que avaliasse como seria lidar no dia a dia com ambas as possibilidades:

Ter o violão no suporte no chão ou na parede.

Como isso impactaria na autonomia das crianças, no visual do ambiente, e na hora de limpar o espaço.

 

 

A consciência de que investimos tempo e energia para administrar as coisas que temos é algo transformador.

Pois ela nos ajuda a tomar decisões sobre como e onde manter cada objeto em nossa casa. E, inclusive, se vale a pena manter.

 

 

Eu não limito meu trabalho a pensar e criar soluções prontas.

Pra mim conduzir um processo de organização é me abrir para a escuta.

Acredito que a abordagem de fazer para o cliente as perguntas certas e gerar reflexão seja muito mais eficaz.

Porque assim a solução será de fato personalizada para a necessidade das pessoas que habitam aquele espaço.

 

 

E onde ficou violão da minha cliente?

 

Ela decidiu que o violão na casa dela ficará na parede.

 

É essa autonomia sobre a gestão das próprias coisas que eu busco entregar.

Não só na consultoria, mas também quando sou eu quem coloco a mão na massa para organizar o espaço para o cliente.

 

Porque assim a organização chega para ficar, para morar naquela casa, com aquelas pessoas.

 

E assim as pessoas se apropriam de seus espaços com consciência e potência.

Posted By

Luciana Silveira

2 thoughts on “Porque fazer perguntas é a melhor abordagem numa consultoria de organização

  1. Marcia Sasdelli

    Seu trabalho é extremamente interessante! Adoro suas ideias!

    • Luciana Silveira

      ahhh, muito obrigada pelo carinho e por acompanhar meu trabalho, Márcia! Bjs.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.